Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...

E não é que Vanusa repetiu a dose?

12 de ago de 2010

A cantora Vanusa, que no ano passado produziu um dos vídeos mais engraçados da internet ao cantar (ou tentar cantar) o Hino Nacional durante uma solenidade na Assembleia Legislativa de São Paulo, repetiu a gafe.

(Com a repercussão do episódio do Hino, Vanusa foi a público e afirmou que estava tomando remédio para labirintite, o que teria sido a causa do esquecimento da letra.)

Desta vez, Vanusa se apresentava em uma comemoração do Dia dos Pais no Parque do Idoso, em Manaus, no último dia 6 de agosto. Ao cantar a música Sonhos de um palhaço, composta por Antônio Marcos, um clássico de seu repertório, Vanusa teve um “pequeno” lapso e esqueceu a letra.

Ao tentar consertar, a emenda saiu pior que o soneto. A cantora, após conferir a letra em uma pasta que se encontrava do lado do palco, acabou, inexplicavelmente, emendando na canção Como vai você, também de Antônio Marcos.

Segundo nota publicada no blog do jornalista Ronaldo Tiradentes, da rádio CBN de Manaus, além de errar as letras, a cantora “atravessou os tons, tirou os sapatos e enrolou a língua durante a apresentação”.

Confira o vídeo:

Fonte: Época


"É por essas e outras que eu tenho esse blog."


Bookmark and Share


1 mil comentários:

Formiga disse...

teste

Postar um comentário




Seguir as Mierdas

Descrição de Mierda

Blog destinado a reunir informações, curiosidades do cotidiano e crítica social em forma de humor. Muito entretenimento, piadas, gifs, imagens engraçadas, tirinhas, perguntas idiotas e de duplo sentido que não irão te ajudar em absolutamente nada. Conteúdos que vão deixar sua mente mais vazia do que já é. Qualquer semelhança com a realidade é mera coincidência, portanto, se alguém se sentir ofendido(a) por algum conteúdo postado aqui, favor entrar em contato informando o problema. Não significa que irei retirar ou modificar o post pois aqui não existe democracia, EU MANDO e ponto final mas irei verificar e analisar todas as reclamações. Porque aqui nada cheira bem.